Denunciam o tráfico de pessoas: Poderoso empresário brasileiro, ex-policial, pessoas da “inteligência portuguesa” e até um militante neonazista fazem parte dessa escandalosa trama criminosa.

Lectura:1 Minutos, 0 Segundos

O Ministério Público português e a Embaixada do Brasil em Lisboa receberam uma denúncia apresentada pelo advogado português Mário Ferreira que pode colocar graves problemas ao empresário brasileiro Alain Baldacci, acusado de tráfico de seres humanos.

O controlador do parque aquático Wet’n Wild, no município paulista de Vinhedo, é acusado de integrar, desde 2016, uma rede que envia brasileiros para a Europa.

Seus sócios no negócio seriam o empresário português Alfredo Morais e um militante neonazista chamado Luís Graça, que seria acusado de comandar a empresa, graças à proteção do SIS, os serviços de inteligência portugueses (Security Information Service).

Os três acusados ​​foram vistos juntos várias vezes, mais recentemente há alguns dias. Conheceram-se no restaurante “Rafa” em Madrid.

De acordo com a denúncia, Graça envia regularmente remessas de dinheiro para o Brasil, e seria dinheiro do pagamento pelo tráfico de pessoas.

As mulheres que seriam enviadas pelo trio para Portugal trabalham no “Elefante Branco”, uma conhecida discoteca de Lisboa, e fazem parte de uma rede de prostituição conhecida como “dama”.

Um denunciante relata que, no mês de dezembro, 30 brasileiros chegaram a Portugal de mãos dadas com o grupo.

Espera-se que os tribunais hajam com urgência.

Acerca del Redactor

La Voz

"La única plataforma de comunicación sin censura para la comunidad ibero-americana" https://www.voziberica.com
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deja una respuesta

Artículo anterior Tramposos, trileros y mentirosos en el gobierno de España
Siguiente publicación ¿A dónde va el matrimonio?